Reuters (© © 2008 Thomson Reuters. All rights reserved. Reuters content is the intellectual property of Thomson Reuters or its third party content providers. Any copying, republication or redistribution of Reuters content, including by framing or similar means, is expressly prohibited without the prior written consent of Thomson Reuters. Thomson Reuters shall not be liable for any errors or delays in content, or for any actions taken in reliance thereon. "Reuters" and the Reuters Logo are trademarks of Thomson Reuters and its affiliated companies. For additional information on other Reuters media services please visit http://about.reuters.com/media/.)
Atualizado: 09/03/2014 16:59 | Por Reuters, Reuters

Avião desaparecido da Malásia pode ter se desintegrado no ar, diz fonte



KUALA LUMPUR/PHU QUOC ISLAND, Vietnã, 9 Mar (Reuters) - Autoridades que investigam o desaparecimento do avião da Malaysia Airlines com 239 pessoas a bordo suspeitam de um desintegração em pleno voo, disse uma fonte sênior neste domingo, enquanto o Vietnã informou ter encontrado possíveis destroços da aeronave.

A agência internacional de polícia Interpol confirmou que ao menos dois passaportes registrados nos arquivos como perdidos ou roubados foram usados por passageiros no voo.

Uma porta-voz da Interpol disse que uma verificação de todos os documentos utilizados para embarcar no avião havia revelado mais "passaportes suspeitos" que estavam sendo mais investigados. Ela não soube detalhar quantos ou de que país ou países eram estes documentos.

Cerca de 48 horas após o último contato com o voo MH370, o seu destino ainda é cercado de mistério. O chefe da Força Aérea da Malásia disse que o avião com destino a Pequim pode ter se desviado de sua rota programada antes de desaparecer dos radares.

"O fato de não termos encontrado quaisquer destroços até agora parece indicar que a aeronave provavelmente pode ter se desintegrado a cerca de 35.000 pés", uma fonte envolvida nas investigações na Malásia, à Reuters.

Se o avião tivesse mergulhado intacto dessa altura, rompendo-se apenas no impacto com a água, as equipes de busca deveriam encontrar uma quantidade bastante concentrada de destroços, disse a fonte, em condição de anonimato, porque não foi autorizada a falar publicamente sobre a investigação.

A fonte falou pouco antes das autoridades vietnamitas dizerem que um avião militar tinha avistado um objeto, que suspeitava que fosse parte do avião desaparecido.

Questionado sobre a possibilidade de ter havido uma explosão, como uma bomba, a fonte disse que não havia ainda nenhuma evidência de que tenha acontecido um ataque e que a aeronave poderia ter se partido devido a problemas mecânicos.

Dezenas de embarcações militares e civis têm cruzando as águas no trajeto da aeronave, mas não encontraram nenhum traço confirmado do avião perdido, embora vestígios de óleo no mar tenham sido registrados no sul do Vietnã e leste da Malásia.

Mais tarde neste domingo, a Autoridade de Aviação Civil do Vietnã disse em seu site que um avião da Marinha vietnamita avistou um objeto no mar que suspeita ser parte do avião, mas que estava muito escuro para ter certeza. Aviões de investigação devem para voltar para avaliar os destroços durante o dia.

INVESTIGAÇÃO ABRANGENTE

"O resultado até agora é que não há sinal do avião", disse o chefe da aviação civil da Malásia, Azharuddin Abdul Rahman.

"Sobre a possibilidade de sequestro, nós não estamos descartando qualquer possibilidade", disse a repórteres.

As autoridades malaias disseram que estão ampliando a busca para cobrir vastas áreas de mar ao redor da Malásia e fora do Vietnã, e estavam investigando pelo menos dois passageiros que estavam usando documentos de identidade falsos.

A lista de passageiros divulgada pela companhia aérea incluiu os nomes de dois europeus --o austríaco Christian Kozel e o italiano Luigi Maraldi-- que, de acordo com as suas chancelarias, não estavam no avião. Ambos, aparentemente, tiveram seus passaportes roubados na Tailândia nos últimos dois anos.

A BBC informou que os homens falsamente usando seus passaportes tinham comprado bilhetes juntos e deveriam voar para a Europa a partir de Pequim, o que significa que não tiveram que solicitar um visto chinês ou passar por verificações adicionais.

A Interpol mantém um vasto banco de dados de documentos de viagem perdidos e roubados mais de 40 milhões, e desde há muito reclama que os países membros deveriam utilizá-los mais para impedir que as pessoas atravessem as fronteiras com documentos falsos.

A organização policial mundial confirmou que haviam adicionado os passaportes de Maraldi de Kozel ao banco de dados após os roubo em 2012 e 2013, respectivamente. Mas disse que nenhum país tinha consultado o banco de dados para verificar qualquer um deles, desde o momento em que foram roubados.

"Embora seja muito cedo para especular sobre qualquer conexão entre esses passaportes roubados e o avião desaparecido, é claramente uma grande preocupação que qualquer passageiro consiga embarcar em um vôo internacional usando passaporte roubado listado nos bancos de dados da Interpol", disse o secretário-geral da Interpol, Ronald Noble, em um comunicado.

Em um sinal de que os controles de aeroporto da Malásia podem ter sido violados, o primeiro-ministro Najib Razak disse que os procedimentos de segurança estavam sendo revistos.

SUSPEITOS

O ministro dos Transportes da Malásia, Hishamuddin Hussein, disse que as autoridades também estavam checando as identidades dos outros dois passageiros. Ele disse que também estava buscando ajuda do Federal Bureau of Investigation (FBI), dos Estados Unidos. No entanto, um ataque é apenas uma das possibilidades investigadas.

"Nós estamos olhando para todas as possibilidades", disse ele. "Nosso foco agora é encontrar o avião."

O avião, um Boeing 777-200ER com 11 anos, movido por motor Rolls-Royce Trent, decolou na tarde de sábado do Aeroporto Internacional de Kuala Lumpur, com 227 passageiros e 12 tripulação a bordo.

Teve seu último contato com controladores de tráfego aéreo a 120 milhas náuticas a largo da costa leste da cidade de Kota Bharu Malásia. O site de rastreamento de vôo flightaware.com mostrou que ele voou para o nordeste após a decolagem, subiu a 35.000 pés (10.670 metros) e ainda estava subindo quando desapareceu dos registros de rastreamento.

Não houve relatos de mau tempo.

(Por Siva Govindasamy e Nguyen Phuong Linh)

últimas notícias

veja mais »

bichos

Confira as imagens dos bichos de julho(©REX ZUMA)
Esquilinho esquiador e gatos nas redes foram destaques do mês

vídeo

veja mais vídeos »

MSN Brasil no Facebook

para cimapara baixo

msn fotos

Você usaria estes sapatos bizarros?(©Reuters/Rex Features)
Você usaria estes sapatos bizarros?

você viu?

  • Profissão perigo(©Reuters)

    Limpadores de janelas arriscam suas vidas trabalhando nas alturas

  • Cena quente(©Divulgação)

    Casal de atores de 'Império' abusa da sensualidade

  • Nova musa do UFC(©Reprodução)

    Felice Herrig faz ensaio sensual antes de estreia no octógono

  • Moda das ruas(©Cartola)

    Veja como estilistas têm se inspirado nos looks da população anônima

  • Pintura tecnológica

    Aquarelas animadas em 3D de Aaron Becker são espetaculares; conheça