WASHINGTON, 20 Abr (Reuters) - Um membro do governo norte-americano que pediu para não ser identificado afirmou nesta sexta-feira que os Estados Unidos apoiam a revisão para uma maior participação dos Brics no Fundo Monetário Internacional (FMI), independentemente do aumento de recursos no órgão multilateral.

Segundo o dirigente, cujas declarações não são transcritas de forma literal, esse aumento de representatividade dos Brics -grupo formado por Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul- refletiria o poder econômico do bloco.

A fonte descreveu a elevação nos recursos do FMI como um sinal de solidariedade para com a Europa e afirmou que os Estados Unidos nunca assumiram que estariam entre os países dispostos a elevar sua contribuição financeira ao órgão.

A visão dos Estados Unidos, ainda segundo a fonte, é a de que o organismo multilateral possui amplos recursos centrais ainda não utilizados, não havendo necessidade de levar o assunto ao Congresso para a aprovação da liberação de mais fundos.

O membro do governo disse também que a Europa precisa continuar a desempenhar um papel central contra a sua crise da dívida e que o FMI pode apenas reforçar esse esforço.