Lúcia Nórcio

Repórter da Agência Brasil

Curitiba - A chuva que atinge o Paraná desde ontem (10) provocou queda de barreiras e interdição nas rodovias BR-277 - que liga Curitiba ao litoral do estado - e BR-376 - que liga o Paraná a Santa Catarina. Há filas de 16 quilômetros na BR-376, na altura do quilômetro 672.

O tráfego entre o Paraná e Santa Catarina chegou a ser totalmente interrompido na madrugada de hoje (11) devido ao afundamento da pista. Segundo o inspetor Fabiano Moreno, da Polícia Rodoviária Federal, a orientação é que os motoristas evitem passar por esses locais já que é grande o risco de mais quedas de barreiras.

Os motoristas devem evitar a BR-376, que está liberada parcialmente. Por essa rodovia, o tempo de viagem aumenta em até cinco horas. 'A rodovia pode voltar a ser interditada totalmente a qualquer momento', alertou Moreno.

Já a BR-277 está totalmente interditada em ambos os sentidos, devido ao alagamento da pista. Há risco de queda de barreiras também na BR-116, que liga Curitiba a São Paulo.

De acordo com a meteorologista Sheila da Paz, a estação hidrológica do Instituto Tecnológico Simepar, que atua junto com a concessionária Ecovia, no quilômetro 41 da BR-277, registrou ontem (10) 81 milímetros (mm) de chuva. Hoje, o volume acumulado de água já está em 118 mm. A média climatológica para todo o mês de março é de 230 mm. O Simepar é responsável pelas atividades do sistema meteorológico do estado.

Segundo o instituto, há vários pontos de alagamento nos municípios de Morretes, Antonina, Paranaguá e Guaratuba. A situação é mais crítica em Morretes, onde 840 pessoas foram afetadas e 65 pessoas estão desabrigadas. De acordo com o Simepar, deve continuar chovendo nessas regiões e os volumes de chuva devem ficar expressivamente mais elevados até o final do dia.

Edição: Lana Cristina

Agência Brasil - Todos os direitos reservados.