Vinicius Konchinski

Repórter da Agência Brasil

São Paulo - A indústria do interior do estado foi a maior responsável pela alta de 0,61% no nível de emprego do setor em janeiro. As fábricas de fora da região metropolitana da capital paulista foram as que mais aumentaram seu quadro de funcionários e contribuíram para um crescimento geral do número de empregados da indústria estadual.

De acordo com a pesquisa do nível de emprego divulgada hoje (10) pela Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp), no interior o emprego cresceu 0,85% no primeiro mês do ano ante dezembro do ano passado. Já na Grande São Paulo, cresceu 0,38%.

Considerando os dois resultados, o crescimento do número de vagas no estado foi de 0,61%. Ao todo, foram 15,5 mil contratações. Descontadas as tendências sazonais do emprego na indústria, o número representa uma alta 0,44% do nível de emprego, segundo a Fiesp.

'Entramos em 2010 em um ritmo bom de contratações na comparação com os anos passados', afirmou o diretor do Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos da Fiesp, Paulo Francini. Em janeiro de 2010, por exemplo, a alta do nível de emprego havia sido de 0,45%. Com o ajuste sazonal, o crescimento registrado foi de 0,28%.

Segundo Francini, em Araraquara, cidade que fica a 273 quilômetros (km) da capital, o nível de emprego cresceu 4,06% em janeiro deste ano. Isso foi causado, principalmente, pelo aumento de quase 10% no número de empregados da indústria têxtil da região.

São Carlos, a 223 km de São Paulo, registrou aumento de 3,93% no nível de emprego, e Sertãozinho, a 333 km, teve alta de 3,62%. Já em São Paulo, o nível de emprego cresceu 0,6%. 'Houve uma preponderância de contratações no interior', complementou Francini. 'Não existe um fator específico para isso. Eventualmente, isso pode se alterar no mês que vem.'

Ele acrescentou que, na comparação entre janeiro de 2010 e janeiro de 2011, a região metropolitana da capital teve crescimento de emprego maior que a do interior. Foram 5,24% da Grande São Paulo, contra 4,83% do interior. Alta geral de 4,88%.

Edição: Lana Cristina

Agência Brasil - Todos os direitos reservados.