Bruno Bocchini

Repórter da Agência Brasil

São Paulo - Os bancários de todo o país decidiram na noite de hoje (13) acatar a proposta da Federação Brasileira de Bancos (Fenaban) e encerrar a greve, iniciada no último dia 29. Apenas os bancários do Maranhão rejeitaram o acordo oferecido pelos bancos e vão continuar paralisados. As informações são da Confederação Nacional dos Trabalhadores do Ramo Financeiro (Contraf).

Os trabalhadores do Banco do Brasil (BB) de Porto Alegre, de Vitória da Conquista (BA), e de Três Rios (RJ) também decidiram continuar em greve. Os bancários do BB de Curitiba ainda não chegaram a uma decisão.

Os funcionários da Caixa Econômica Federal do município do Rio de Janeiro, do estado da Bahia, Porto Alegre, Pará e Amapá, Maranhão, Vitória da Conquista (BA), Jundiaí (SP), Três Rios (RJ), Santo Angelo (RS), também não aceitaram a proposta do banco e continuam paralisados.

A proposta dos bancos inclui reajuste de 7,5% nos salários dos empregados que recebiam, em agosto de 2010, remuneração fixa mensal até R$ 5.250,00. Para os salários acima deste valor será dado um aumento de R$ 393,75. Os bancos darão ainda reajuste de 7,5% para todos os benefícios.

Para a Participação nos Lucros e Resultados (PLR) haverá correção de todos os valores em 7,5%.

Os bancários pleiteavam aumento de 11%, elevação na Participação nos Lucros e Resultados (PLR), vale-refeição, vale-alimentação, auxílio-creche e pisos maiores, além de auxílio-educação.

O BB e a Caixa apresentaram proposta específica para os seus funcionários, que inclui outros benefícios, como aumento no piso salarial de 13% no BB, que chega agora a R$ 1.600, e de 12,7% na Caixa, que atinge R$ 1.637.

A greve dos bancários durou 15 dias e paralisou mais de 8 mil agências em todo o país.

Edição: Rivadavia Severo

Agência Brasil - Todos os direitos reservados.